segunda-feira, 26 de setembro de 2011

✓Crise do Império Brasileiro

O Republicanismo:
  No ano de 1870, aumentaram as críticas ao governo imperial, e discutia-se a viabilidade de uma República.
Nesse mesmo ano, foi lançando no Rio de Janeiro o Manifesto republicano. Três anos depois, foi formado o PRP (Partido Republicano Paulista) a partir de discussões da Convenção de Itu, na província de São Paulo.

Questão Religiosa:
  De acordo com a Constituição de 1824, a Igreja Católica era a religião oficial do Império.
Entre 1869 e 1870, uma importante reunião entre representantes da Igreja, determinou a infalibilidade papal, onde o papa teria total autoridade em determinar questões de fé doutrina e até moral.
O.B.S.: Dom Pedro II determinou a prisão dos bispos. E isso acabou gerando uma forte instabilidade entre a Coroa e a Igreja.

Consequências do abolicionismo:
  Com as leis abolicionistas, proprietários de terras e de escravos, eram prejudicados, pois essas leis exigiam indenizações pelos cativos que perdiam. Com a abolição, muitos desses proprietários se voltaram contra o governo, que outrora apoiavam.
 Esse processo colaborou para a perda da base que sustentava o imperador e a futura proclamação da República.

Questão Militar:
Com baixos salários e demora nas promoções, muitas famílias pertencentes à elite, evitavam que seus filhos seguissem careira militar. Isso fez com que a importância dada aos militares diminuísse, fazendo crescer dessa maneira, o número de militares de origem pobre. 
 O lema da bandeira republicana: Ordem e Progresso ilustra ideais do positivismo conteano.

Proclamação da República:
  Com a morte do Imperador, chegaria ao governo sua filha Isabel e seu esposo, o francês Conde d´Eu. Isso favoreceria a formação da republica.
  Diante das criticas, o governo imperial procurou realizar reformas que acalmassem os ânimos.Em 1889, Dom Pedro II convidou Afonso Celso de Oliveira Figueiredo (O Conde de Ouro Preto) para assumir o cargo de primeiro ministro.

Governo provisório da Republica:
  Logo após a declaração de um governo republicano, foi organizado um governo provisório, tendo á frente o marechal Deodoro da Fonseca.
  Os Republicanos Liberais representados pelos cafeicultores paulistas, defendiam autonomia para as províncias, que passaram a ser chamadas de Estado.

Ministro Rui Barbosa e a Crise Econômica:
  Rui Barbosa defendia a industrialização como sendo um dos caminhos do progresso brasileiro.
  O Ministro propôs a emissão de papel-moeda, o que seria feito por muitos bancos. Com isso, foram feitas leis que facilitariam a formação de sociedades anônimas, ou seja, empresas com ações na bolsa de valores.

Primeira Constituição da Republica:
  A Constituição foi inspirada no modelo estadunidense, que tinha uma República Federativa. A autonomia para os estados foi garantida. Cada estado teria sua própria constituição, que não poderia ultrapassar os limites pela constituição federal.
  O governo seria presidencialista, com uma divisão em três poderes: Executivo (presidente e seus ministros), Legislativo (deputados e senadores), e Judiciário (juízes e Supremo Tribunal Federal).
 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postar um comentário